Home » Noticias » Solução global de acesso fluvial à Ilha de Tavira (Portugal)

Solução global de acesso fluvial à Ilha de Tavira (Portugal)

25/01/2021

Tavira, município algarvio, conhecido pelas suas muitas pequenas igrejas e capelas, bem como pelas belíssimas praias com extensões de areias infinitas, a maioria das quais estão numa pequena ilha, apenas acessível por água. Para o acesso controlado e sustentável por via fluvial, os barcos de ferry navegam pelo rio Gilão para permitir que turistas, pescadores e prestadores de serviços atravessem para a ilha. Nos últimos dois anos, em ambas as margens do rio, no centro da cidade e na ilha, foram desenvolvidas e construídas infraestruturas para uma passagem mais segura de turistas, bens e serviços. A Lindley foi escolhida pelas autoridades locais para fabricar, fornecer e instalar pontões flutuantes, pontes de acesso e sistemas de amarração para ambas as infraestruturas, compostas por pontões flutuantes para o embarque, desembarque e atracação temporária.

Do lado da cidade de Tavira foi instalada recentemente uma infraestrutura flutuante de 260 metros de comprimento no rio Gilão, junto ao antigo cais do centro da cidade, para melhorar a segurança e o conforto no acesso a barcos e ao rio. A Lindley foi a empresa adjudicatária pela entidade pública Docapesca para o fabrico e instalação de uma solução ‘chave na mão’ composta por pontões flutuantes, amarração, acessos e serviços. Os pontões flutuantes de betão de flutuação continua (PFC), cada um com 12 metros ou 15 metros de comprimento e 3 metros de largura, estão divididos em quatro áreas diferentes: ferries, operadores turísticos privados, atividades de pesca, guarda costeira e um pequeno posto de combustível. Uma ponte com dois passadiços separados permitiu diferentes acessos e operação. No caso dos cais turísticos, foram também instalados corrimões na margem para proteger os utilizadores de caírem à água. Os pontões são amarrados por vigas HEB verticais ancoradas na parede do cais.

Do lado da ilha, a Lindley executou três cais, com dimensões diferentes, especialmente no seu bordo livre, para acomodar embarcações com características e aplicações distintas, como táxis aquáticos, ferries e embarcações privadas. Esta infraestrutura foi construída com pontões de betão de flutuação continua (PFC) com decks de madeira e amarrados por estacas. O pontão exterior, de 40 metros de comprimento, 5 metros de largura e com um bordo-livre de 1,1 metros sem carga, permite a fácil atracação e operação para os ferries. Os dois pontões interiores, cada um com 20 metros de comprimento, 3 metros de largura e um bordo-livre sem carga de 0,6 metros, viabilizaram as embarcações mais pequenas como pequenos táxis aquáticos, barcos de serviço e embarcações de pesca. Foram também fornecidos os serviços elétricos e de água recomendados, bem como os equipamentos de segurança e emergência, em conformidade com as normas em vigor. Por último, foram instaladas pontes de acesso separadas com dimensões 20x2 metros para permitir uma circulação independente.